Loading...

sexta-feira, 28 de junho de 2013




Olá a todos!

Estamos de volta para novas trocas de informações sobre Equoterapia.
Caso queiram enviar algo para este blog, estamos a disposição.

Uma dica de leitura de um novo artigo na área:

The effects of a rhythm and music-based therapy program and therapeutic riding in late recovery phase following stroke: a study protocol for a three-armed randomized controlled trial.

Bunketorp Käll L; Lundgren-Nilsson Å; Blomstrand C; Pekna M; Pekny M; Nilsson M.

BMC Neurol; 12: 141, 2012.

Article em En | MEDLINE | ID: 23171380

Resumo

BACKGROUND: Stroke represents one of the most costly and long-term disabling conditions in adulthood worldwide and there is a need to determine the effectiveness of rehabilitation programs in the late phase after stroke. Limited scientific support exists for training incorporating rhythm and music as well as therapeutic riding and well-designed trials to determine the effectiveness of these treatment modalities are warranted. METHODS/DESIGN: A single blinded three-armed randomized controlled trial is described with the aim to evaluate whether it is possible to improve the overall health status and functioning of individuals in the late phase of stroke (1-5 years after stroke) through a rhythm and music-based therapy program or therapeutic riding. About 120 individuals will be consecutively and randomly allocated to one of three groups: (T1) rhythm and music-based therapy program; (T2) therapeutic riding; or (T3) control group receiving the T1 training program a year later. Evaluation is conducted prior to and after the 12-week long intervention as well as three and six months later. The evaluation comprises a comprehensive functional and cognitive assessment (both qualitative and quantitative), and questionnaires. Based on the International classification of functioning, disability, and health (ICF), the outcome measures are classified into six comprehensive domains, with participation as the primary outcome measure assessed by the Stroke Impact Scale (SIS, version 2.0.). The secondary outcome measures are grouped within the following domains: body function, activity, environmental factors and personal factors. Life satisfaction and health related quality of life constitute an additional domain. CURRENT STATUS: A total of 84 participants were randomised and have completed the intervention. Recruitment proceeds and follow-up is on-going, trial results are expected in early 2014. DISCUSSION: This study will ascertain whether any of the two intervention programs can improve overall health status and functioning in the late phase of stroke. A positive outcome would increase the scientific basis for the use of such interventions in the late phase after stroke. TRIAL REGISTRATION: Clinical Trials.gov Identifier: NCT01372059.

Assuntos


Bons Estudos!
 

segunda-feira, 16 de maio de 2011

T.O. e a Equoterapia

O terapeuta Ocupacional tem como papel, modificar o ambiente e prover situações terapêuticas de forma que o praticante, receba, entre outras, estimulação tátil, vestibular, proprioceptiva, visual, auditiva e organize estas informações de forma que as respostas adaptativas sejam consistentes com as demandas do ambiente. Entendemos Respostas Adaptativas como o resultado da organização da MOTIVAÇÃO que governa as tendências básicas do organismo para agir; dos HÁBITOS que representam o comportamento automático e de rotina," papéis interiorizados" e DESEMPENHO que é a organização da ação em habilidades.
Na Equoterapia, o T. O . tem como função analisar esta atividade com o propósito de objetivar o processo interventivo a ser usado, facilitar, estimular e mediar a relação terapêutica, buscando a codificação e o significado nas diferentes experiências, permitindo assim ao praticante aprender novas tarefas de forma eficiente.

Marta Rosa Gonçalves

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Li este artigo e gostei! Então anexei em nosso blog.

Artigo: A repercussão da equoterapia na qualidade de vida da pessoa portadora de lesão medular traumática
Introdução: A Equoterapia é um recurso terapêutico que utiliza o cavalo como instrumento cinesioterapêutico e auxilia no desenvolvimento biopsicossocial e reabilitação de pessoas portadoras de diversos tipos de deficiências. Esse recurso também pode ser utilizado como meio preventivo e terapêutico na área da saúde. A Lesão Medular Traumática (LMT) corresponde a qualquer lesão na medula que resulta de trauma sem origem patológica e pode alterar vários fatores e condições de vida, interferindo conseqüentemente na Qualidade de Vida (QV) dos indivíduos lesionados. Objetivo: Avaliar a possível influência da Equoterapia na Qualidade de Vida dos portadores de Lesão Medular Traumática. Casuística e Método: Trata-se de um estudo de caso de validação clínica do atendimento em Equoterapia para portadores de Lesão Medular Traumática, que utiliza medidas de avaliação pré e pós intervenção. Participaram da pesquisa três pessoas (n = 3), com Lesão Medular Traumática completa, decorrente de trauma por arma de fogo, os quais não realizavam atividade física ou terapêutica, sendo dois do sexo masculino (P1 e P2), com 42 e 28 anos, e um do sexo feminino (P3), com 49 anos. Foram aplicados o Questionário The Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey - SF-36, para avaliação de QV pré e pós intervenção, e um Questionário Sócio-demográfico e Ocupacional. Realizou-se um total de 29 sessões e, após o último atendimento, solicitou-se também a cada participante redigir um depoimento sobre as alterações percebidas, tanto em nível físico quanto psicológico, observadas durante e após a intervenção equoterápica. Resultado: Os resultados da avaliação de QV pré e pósintervenção dos participantes, mostraram que P1 apresentou os melhores resultados de QV no domínio Aspectos Sociais; P2 foi o que apresentou maior número de domínios que melhoraram, com o maior índice de melhora nos Aspectos Físicos, porém foi o único que não apresentou melhora na Capacidade Funcional; e P3 foi quem apresentou maior índice da variação nos domínios Capacidade Funcional e Dor. O domínio Estado Geral de Saúde após os atendimentos, apresentou melhora para todos os participantes. Conclusão: Os participantes investigados apresentaram, após a intervenção Equoterápica, uma melhor QV, tanto nos domínios do Componente Físico, quanto do Mental, independente do sexo, idade, nível e tempo de lesão. Esse recurso terapêutico melhora a percepção de saúde global de pacientes com Lesão Medular Traumática.
Autor(es): Rafaela Potsch Ribeiro - 
Id.: 36782839
Idioma: portugués  - 
Versión: 1.0
Estado: Final
Tipo:  PDF -
Palabras claveequoterapia - 
Tipo de Interactividad: Expositivo
Nivel de Interactividad: muy bajo
Audiencia: Estudiante  -  Profesor  -  Autor  - 
Estructura: Atomic
Coste: no
Copyright: sí
Formatos:  PDF -
Requerimientos técnicos:  Browser: Any -
Fecha de contribución: 24-jun-2010

sábado, 23 de outubro de 2010

Boas Vindas aos Seguidores!

Olá a todos os seguidores e curiosos deste blog!
Sejam bem vindos ao nosso blog e esperamos que vocês gostem.
Mandem depoimentos sobre o tratamento da Equoterapia e até mesmo sugestões para nosso blog, por favor, no e-mail: equoterapiasaobernardo@gmail.com.
Um abraço da Equipe do Centro Municipal de Equoterapia de São Bernardo do Campo